A família do futuro – Disney, 2007

A família do Futuro em DVD    Há exatos 3 anos a Walt Disney Pictures lançou Meet the Robinson (“A Família do Futuro”, 2007). O filme não é mais nenhuma novidade, mas, na minha opinião, vale a pena pegar na locadora para assistir com a família ou com o namorado(a) no fim de semana. A animação é baseada no livro A day with Wilbur Robinson do escritor, ilustrador e cineasta americano William Joyce e foi dirigida por Stephen J. Anderson.

    À primeira vista, como quase todos os filmes infantis, o enredo é monótono: menino órfão quer encontrar a mãe para se sentir completo. De fato, o filme ganha força após as primeiras apresentações de personagens e situações. Lewis foi deixado em um orfanato pela mãe e, aos 11 anos de idade, corre o risco de nunca ser adotado. Ele não é um garoto comum, pois as idéias dele vão além da previsibilidade de seu mundo. Lewis é um cientista nato que está sempre tentando inventar soluções e constrói engenhocas interessantes. O filme começa mesmo quando ele decide que só pode ser feliz encontrando a mãe biológica e passa a trabalhar em um scaner de memória que o ajudará a identificá-la em através de lembranças. Sua invenção, no entanto, é roubada pelo bandido do chapéu coco, mas as consequências disso serão maiores do que eles poderiam supor. Wilbur Robinson, um garoto do futuro, ajudará Lewis na recuperação da máquina e na busca de seu próprio destino.

    Não só as invenções de Lewis são brilhantes e surpreendentes, os desenlaces do enredo são bem originais.  É mais do que uma lição para crianças sobre acreditar em seus sonhos e lutar para alcançá-los. É um lembrete aos adultos de que eles podem, sim, fazer a diferença para os outros, sejam os mais próximos ou não.  Como outros protagonistas, Lewis vê o mundo de uma maneira diferente, até o momento em que ele deve decidir investir ou desistir de seus sonhos. Ser diferente ou ajustar-se? É então que entra a família Robson para provar a ele e a você, espectador, que o mais importante é o indivíduo, não os moldes. Você é especial pelo que é, da forma que é, mesmo com imperfeições e maluquices. Eles são a família unida que a Disney desejaria que todos tivessem. Sem passar pelo melodrama, as cenas dos Robinsons são engraçadas e inusitadas. Eles não ficam atrás dos vilões divertidos que dão à história sua razão de existir. O aspirante a vilão e seu chapeu coco, Dóris, põem em pauta a fragilidade da busca rancorosa por glória.

    Moral da história: relacionamentos são importantes, especialmente familiares. E nunca desista de seus ideais mesmo que falhe: “siga em frente” (keep moving forward). Apesar da síntese banal, sei que você se surpreenderá com a inteligência do roteiro que atualiza criativamente antigas questões. Para dizer a verdade, muito do que está no filme vai além da compreensão infantil. Especialmente madura é a música que Rob Thomas compôs para o desenho antes mesmo de receber o roteiro (o que surpreende pela pertinência em relação ao enredo). Little Wonders fala sobre deixar o passado, perdoar, ser perdoado e viver o presente. Não é preciso tirar as crianças da sala, mas faça o favor de assitir a versão legendada.

Pronto para Todayland?

 

 

About these ads

  1. Du

    Ultimamente não tenho muita paciência para animações, essas estilo Disney, menos ainda. Uma dúvida, pode ser impressão minha, mas o gênero (nem sei se pode chamar de gênero, mas ok) “Animação” é restrito à filmes com final feliz, bem família, beirando o politicamente correto… tem filmes nesse gênero que fogem a essa minha impressão?

    Abraços

    • Daniela Urquidi

      “Animações” normalmente são direcionadas para crianças, ou pelo menos as consideram como um público possível. As crianças não conseguem entender conceitos abstratos sem exemplos, então essas histórias apresentam modelos que as ajudam a moldar seu caráter. Mas nem toda animação é para criança e nem toda animação é longa metragem. Procure na internet “animações” e vai ficar surpreso com as produções independentes e super engraçadas que estão pela web.
      Se o desenho animado for produzido pela Disney, aí sim, pode contar com uma moralidade muito marcada no final.

  2. Du

    Obrigado pela resposta Daniela, caso você tenha alguma(s) específica(s) para indicar é só dizer.

    Abraço

  3. Livia Di Bartolomeo

    Ainda sinto que vocês estão muito presas ao enredo do filme….
    Tem tanta coisa legal para se falar de filme, ainda mais de animação…

  4. Cara tah mtu boum o blog, nesse eu vi talento SIHDUASHDUHASUDHASUD
    Parabéns Lari!!!!!!
    =]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: